Tahuantinsuyo Expedition 2006

Caxias do Sul - Bolívia – Peru (sudeste) - 6° dia

Quarta-feira, 08/02/2006 : Santa Cruz de la Sierra

Abastecimentos : Nenhum


Acordamos e fuii imediatamente localizar alguém que pudesse consertar o radiador. Liguei para um amigo boliviamo, que conheci pela internet e que também tem uma “Land Cruiser”, que imediatamente se prontificou a ir até onde eu estava, para levar-me à um “brasilero” que tinha uma oficina de conserto de radiadores. Chegando ao “taller do brasilero”, fui prontamente atendido, sendo retirado o radiador para ser consertado e a ventoinha para ser substituída, tarefa esta que o meu amigo boliviano prontamente se propos a fazer, mesmo deixando suas atividades profissionais de lado. Enquanto era consertado o radiador, eu conversava com o proprietário da oficina que me contava que já estava na Bolívia havia 20 anos e que gostava muito daquele país, visto que desde o início, procurou entender e se inserir na cultura local, o que lhe permitia sentir-se a vontade com os paisanos. O mesmo sentimento era nutrido por outro brasileiro, que alí estava aparentemente passando o tempo, e que teria ganho muito dinheiro na Bolívia, motivo pelo qual entendia que este país era um país de futuro. Após o meio-dia, o amigo boliviano, que novamente deixava seus afazeres de lado, voltava com a ventoinha, porém com as pás um pouco maior, já que não havia encontrado a do mesmo tamanho, o que fez com que nossos amigos da oficina de radiadores, com uma precisão impressionante, cortassem o excesso das pás, sem que a ventoinha ficasse desbalanceada.



Catedral de Santa Cruz de la Sierra


Taxi importado usado do Japão e adaptado

Como demonstrei minha surpresa com o fato, o proprietário da oficina me explicou que pelo alto custo das peças -todas importadas-, desenvolveu-se neste país, uma grande capacidade para adaptações de qualidade, o que garante o funcionamento da frota nacional, em sua grande maioria usados, proveniente do Japão, onde como sabemos a direção é do lado direito, o que faz com que vejamos cenas como a dos táxis, que são adaptados para que a direção e pedais fiquem do lado esquerdo, no entanto, itens superfluos como painel de controle são deixados do lado direito, permitindo ao passageiro ver os relógios do carro. Instalado e testado o radiador, apressei-me em direção ao hotel, para ver se poderíamos neste mesmo dia seguir-mos nosso roteiro em direção a Cochabamba. Acertadamente, concordamos em permanecer em Santa Cruz, para no dia seguinte, sim, “tempranito” seguirmos à Cochabamba. Portanto, teríamos tempo para caminharmos e conhecer a cidade que nos pareceu muito bonita.

Recorremos o centro, bastante movimentado e seguro. Compramos recuerdos em uma das inumeras lojas de “artesanias” da cidade e seguimos para o hotel, para deixar as compras e ir jantar. A dona do hotel, nos indicou um restaurante típico chamado “La Casa del Camba” camba: (subst. Invariável) palavra de orígem quechua, que significa pessoa oriunda do sul do país (Santa Cruz, Beni y Pando). Se reconhece um camba pelo seu falar, porque usa sempre o diminutivo com final -ingo, como "chiquitingo" em vez de "chiquitito", "cerquinga" por "cerquita" e "poquingo" por "poquito".


Praça principal de Santa Cruz de la Sierra


Restaurante típico “La Casa del Camba” em de Santa Cruz de la Sierra

Tomamos um táxi, para não termos que circular pela cidade com a bandeirante e por ser mais cômodo. Chegando ao famoso restaurante, nos olhamos como quem sabe já que vai gastar alguns bons bolivianos, visto que o restaurante era uma casa típica com música ao vivo, garçons com o traje típico de “los Cambas” e tudo o mais que aqui no Brasil é sinônimo de caro, no entanto, merecíamos alguma coisa mais civilzada, depois de toda a nossa aventura até aqui, nem que para isso tivéssemos que gastar uma fortuna num jantar. Primeira grande surpresa deste país abençoado: Comida barata, para quem não acredita, tenho comigo o cupom fiscal do restaurante, que evio cópia para qualquer um que duvidasr, pois eu mesmo não acreditei:

4 Jantares típico : Bs. 99,00 = R$ 27,48 = Us$ 12,30

1 pisco Sour : Bs. 15,00 = R$ 4,16 = Us$ 1,86

1/2 de suco de abacaxi : Bs. 10,00 = R$ 2,77 = Us$ 1,24

1 Cabernet Sauvignon Campo Solana : Bs. 70,00 = R$ 19,39 = Us$ 8,68

1 água mineral : Bs. 5,00 = R$ 1,38 = Us$ 0,62

1 Licor de menta : Bs. 20,00 = R$ 5,54 = 2,48

2 Chás de coca : Bs. 6,00 = R$ 1,66 = Us$ 0,74

1 Café expresso : Bs. 3,00 = R$ 0,83 = Us$ 0.37

Total : Bs. 233,00 = R$ 64,69 = Us$ 28,94 ,

ou R$ 16,17 por pessoa.